segunda-feira, 9 de maio de 2011

Quanto mais velha, melhor!

No passado, havia a tendência para encarar todos os aniversários a partir dos 30 anos como mensageiros da desgraça ou de perda. Hoje, a nossa visão do envelhecimento está a mudar. Na verdade, muitas pessoas estão a chegar à conclusão de que é bom envelhecer. Eis o que muitas pensam do assunto:



1. Ficamos mais espertos
Cabelos brancos não significam raciocínio lento. Sigmund Freud publicou a sua primeira grande obra, A Interpretação dos Sonhos, aos 44 anos. Rachel Carson terminou o seu clássico Silent Spring (Primavera Silenciosa) aos 55.
Se continuarmos a ler, a pensar e a criar durante toda a vida, a sabedoria acumulada melhora a nossa inteligência. Com o tempo, verificamos que a nossa classificação em testes de inteligência vai sempre melhorando. A velocidade de raciocínio e de memória pode diminuir, mas não a qualidade.
É certo que perdemos algumas células do cérebro ao envelhecermos. Mas os neurologistas sabem hoje que aumenta o número de conexões entre as células cerebrais - o que aumenta a profundidade de nossos conhecimentos - até bem entrados nos 70, se levarmos uma vida estimulante.

2. Ficamos mais resistentes
Estudos realizados demonstram que os nossos mecanismos psicológicos de defesa (a maneira como lidamos com os sentimentos difíceis) se tornam mais saudáveis à medida que envelhecemos. Os jovens protegem-se com estratégias como a recusa e atitudes impulsivas. As pessoas de meia-idade apoiam-se muito mais em defesas como o humor, o altruísmo e a criatividade.
As pessoas mais velhas encaram os mesmos eventos com menos tensão do que os jovens. Com a idade, lidamos melhor com os problemas da vida. Isso acontece porque já passámos pelo menos uma vez por um despedimento, ou um divórcio, ou a perda de um ente querido e sobrevivemos. Psicologicamente, estamos mais fortes. Na realidade, uma mudança física que ocorre no nosso cérebro pode contribuir para esse processo.

3. Amamos melhor
À medida que os anos passam, sentimo-nos mais seguros nos nossos relacionamentos. Quando mais tempo estamos casados, mais provável é que continuemos casados. E se temos um bom casamento é prová­vel que este ainda fique melhor depois de os filhos saírem de casa.

4. Somos mais nós mesmos
Levamos muito tempo a tornar-nos pessoas. Quanto mais o tempo passa, mais únicos ficamos. Temos uma visão mais nítida sobre aquilo que pensamos, do que gosta­mos ou não. Sabemos quem somos.

5. Ficamos mais altruístas
Na idade madura, a pessoa tem muito mais compaixão pelos ou­tros. Depois de os filhos crescerem, os nossos sentimentos maternais ou paternais continuam a existir e podem ser alargados a mais gente de fora da família. Há mais potencial para envolvimento na comunidade e nos problemas da sociedade.

6. O nosso mundo alarga-se
Uma das coi­sas que teme­ mos quando en­velhecemos é o aumento da solidão. Se deixar que assim seja, o seu mundo pode encolher mas, se fizer um esforço, a idade madura pode ser um tempo de mais relacionamentos pessoais.

7. Estamos mais motivados
Enquanto as pessoas mais velhas são livres de fazerem do seu tempo o que muito bem entenderem, também sabem que já têm menos tempo. Isso torna-as mais conscientes da preciosidade do tempo e mais criteriosas sobre a forma como o usam.
fazer bom uso do tempo pode prolongá-lo. Há estudos que mostram que as pessoas que têm interesses vitais e absorventes vivem mais tempo.

8. Acordamos espiritualmente
Não se pode correr tão depressa como antes, mas o nosso lado espiritual fortalece-se. Tem-se tempo para reflectir sobre o sentido da nossa experiência de vida. O resultado pode ser um aprofundamento da fé religiosa ou simplesmente um desenvolvimento muito maior da vida interior.
Por outras palavras, tornamo-nos mais sábios.

in www.km-stressnet.blogspot.com
Photo in google

E mais nada!

Nenhum comentário: