domingo, 31 de agosto de 2008

Christiane F : Não precisa de apresentações

Li este livro e vi este filme quando tinha 14 anos. Por ter a idade dela e por muitas outras coisas a história marcou-me. Li o livro novamente o ano passado e teve o mesmo impacto. Hoje, quando me preparava para ver o filme outra vez, vejo esta noticia...não fazia a minima ideia de que ainda se falaria de Christiane F. As noticias não são das melhores, mas gostei de saber dela.

Christiane F




Christiane F.: A droga outra vez
Mito da década de 1980 voltou à dependência absoluta da heroína que lhe deu fama quando tinha apenas 15 anos





Durante a primeira metade da década de 1980, Christiane Vera Felscherinow foi a adolescente alemã mais conhecida do planeta, após o êxito massivo da sua autobiografia intitulada "Wir Kinder Vom Bahnhof Zoo", vertido para português como "Christiane F. - Os Filhos da Droga" (1979), e da adaptação cinematográfica (1981) do livro.

Nele descobria-se a decadência absoluta de uma criança de 13 anos, iniciada na heroína pelo namorado, e que recorria à prostituição para sustentar o vício. Voltou aos escaparates este mês, quando as autoridades lhe retiraram a custódia do filho. Por ter regressado à heroína. Se é que alguma vez a deixou. Quase 30 anos após ter sido publicada, a vida dela daria outro livro: "Christiane F. - Tomo 2". Tão sórdido como o primeiro.

Christiane F.: A droga outra vez
Christiane F. perdeu a custódia do filho


Christiane F. chegou a anunciar que estava "limpa", livre das drogas. Anos depois, admitiu que tal só havia ocorrido durante cinco meses. Provavelmente, imediatamente a seguir à edição do livro. Então, a adolescente mais conhecida do Mundo mantinha-se incógnita para fugir da fama súbita e partilhava apartamento em Hamburgo com o cineasta Klaus Maeck e o músico Alex Hacke.

Influenciada pelo primeiro, torna-se actriz no filme punk "Neonstad", de 1981, experiência a que regressa com "Decoder", realizado por Maeck, onde contracena com William Burroughs, o escritor beatnick viciado que matou a mulher com um tiro na cabeça quando brincava como Guilherme Tell; com o outro, que seria seu namorado e fundador da banda de industrial-punk "Einstürzende Neubauten", aprendeu a tocar guitarra, integrando a banda "Sentimentale Jugend". No ano seguinte, assinando Christiane X, lança o álbum "Gesundheit!" ("Saúde!"). Amargamente irónico, mas revelador: no refrão de uma música, canta "Ich bin so süchting..." (Estou tão viciada...). Estava.




Conforme revelou à revista dinamarquesa "Politiken" em 1985, regressou à heroína com 21 anos: "Quando um deles (os colegas) me ofereceu heroína… limitei-me a dizer: 'Porque não? Só uma vez'. Vomitei, porque o meu corpo estava totalmente limpo. Mas então voltei a fazê-lo, porque era muito bom…". Tão bom que tornou a ser presa nesse ano, quando trabalhava num gabinete de contabilidade, por posse de droga.

Nessa altura, já a sua identidade tinha sido revelada quando, convidada para consultora executiva do filme sobre a própria vida, um jornalista descodifica o famoso F, desdobrando o apelido Felscherinow. Mas nem tudo foi azar: com o dinheiro dos direitos da sua obra, Christiane F. reforma-se em 1985, passando a viver de rendimentos. Aos 23 anos.

Abonada, deixou a Alemanha para viajar. Nesse ensejo, conhece também algumas das maiores figuras das artes: o seu ídolo David Bowie, com quem partilhou uns riscos de cocaína; o realizador italiano Frederico Fellini, com o qual se aborreceu de morte em longos jantares e solilóquios… Até que se fartou. Foi para a Suíça e, na praça Platz Spitz, em Zurique, regressou à adolescência. Porque ali havia "montes de droga, onde nos podíamos picar à vista de todos".

Saturada da cópia, regressa à cena original, Berlim, no Verão de 1985, onde é detida pela Polícia e presa por 10 meses por recusar a desintoxicação: "A terapia era pura lavagem cerebral", diz. No ano seguinte, parte outra vez. Para a Grécia. Numa ilha do mar Egeu, conhece um jovem, Panagiotis, iniciando uma relação de seis anos, e que até a poderia ter resgatado da agulha não fora um pormenor: ele também era heroinómano. E, se no início isso não constituiu problema, a coisa assumiu proporções catastróficas de tal modo que, quando se preparavam para casar, Panagiotis é detido pela Polícia por… tráfico de droga. Sozinha, entregue à rotina dos viciados, decidiu abandonar Atenas porque ali "havia demasiados problemas para arranjar droga". Voltou à Alemanha em 1993.

Em Berlim chutava todos os dias. E nem quando, em 1994, partiu o ombro, tendo sido internada, largou a dose: "Saia todas as noites do hospital para comprar droga. Mas não podia picar um braço enfaixado". A abstinência era um calvário. Até que lhe deram pastilhas de metadona para apaziguar as dores. Foi uma revelação: Christiane F. adoptou o químico e, aos poucos, limpou o corpo. Estava tão maltratado que deixou de menstruar durante dois anos; um dia, deixou outra vez, mas agora por estar grávida do companheiro, que deixou quando o filho Jan-Niklas nasceu, em 1996.

E foi pelo filho e pela heroína que Christiane F. tornou a ser notícia. Aos 46 anos, após ter falhado múltiplas desintoxicações, não escapou à degradação do vício - tem hepatite C, faz hemodiálise e já nem sequer pode injectar por falta de veias capazes - que cultiva. Com menos dinheiro: o livro vende pouco e o filme não se vê. Por isso, partilhava um apartamento em Berlim com dois tios. E o filho, Niklas, agora numa instituição para menores. Retiram-lhe o filho por "incapacidade".

O novo drama começou este ano, quando ela e o namorado, Joachim S., de 37 anos, decidiram emigrar para a Holanda, levando a criança. Como a Justiça alemã lhe retirou o filho, ela sequestrou-o e fugindo para Amesterdão. Mas, na capital holandesa, Christiane regressou à heroína e, após uma zanga com Joachim, voltou à Alemanha em Junho. E, ainda no comboio, o Tribunal de Menores retirou-lhe a custódia de Niklas, que só poderá voltar ao convívio com a mãe caso ela recupere da dependência.

É pouco provável. Segundo a imprensa local, Christiane procura as antigas amizades da seringa, pernoita em casa de amigos e frequenta uma praça de Berlim famosa pelo tráfico. E Joachim declarou à "Der Spiegel" que ela snifava heroína regularmente e bebia muito álcool. Fiel, de resto, ao seu princípio. Em entrevista ao semanário holandês "De Limburger", em 2005, afirmou: "Nunca quis ser exemplo para ninguém; acho que cada um deve saber o que faz". Christiane F. não sabe...

sábado, 30 de agosto de 2008

Scary Trailers

E se estes, fossem na realidade, filmes de terror?

Mary Poppins




Wizard of Oz





Funny!!!

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Um Crime À Minha Porta


Vim da rua de matar alguém,


E foi assim que eu matei por bem.
As razões:
Não há razões!
É que eu não tenho mais amor pra dar,
E a ninguém!
Quero não amar p'ra não cair,
Não vou dar,
E não vou ter,
A mesma forma de estar.
Tudo bem vá durar um dia,
Faça agora tudo o que eu fizer.
Quero estar voar e só contigo,
Mas só enquanto eu quiser.
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.
Vim da rua de matar alguém,
Agora espero o sol.
Agora espero só.
Quem não dá para ter quem não dá,
Pra dar um brilho ao ego,
E ter assim o cheiro do que um dia,
Seria,
O nosso dia,
Daquilo que eu faria.
Agora sinto a dor,
Agora sinto a dor.
Por quem matei por ter feito amor.
Qual dor.
Eu só faço o que eu quero.
Eu não penso em ninguém,
Por pensar.
Meu nome é partir,
E voltar,
E tudo por quem?
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.
Levo-me ao inverno,
Pela mão da minha culpa,
Tenho a força para ser mais forte,
E roubo-te a desculpa.
Eis a preocupação,
Com uma qualquer situação anormal.
É triste o fim ser igual,
Para nós.
Estar nas nossas mãos,
O evitar simples,
Da dor.
E qualquer dia me traz,
Até mim.
Qual a minha culpa qual,
A sentença?
Da lição não tiro nada,
Mas que o crime só compensa.
E se eu matar,
Logo pela madrugada?
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.
Eu não sou normal.
Eu não quero ser igual.
Isso é virar um homem,
Que eu não sou.
(Sou) ouro em teu olhar.
Serei o pai do teu prazer até ao dia,
Em que o amor for para nós:
A ultima fatia.
E se o trago é difícil,
E a veia entope,
Só nos resta a nós os dois:
A hemorragia.
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.
Sobre esta forma de amar,
Vai de uma forma de estar.

by Ornatos Violeta




Na photo eu e o Luv há mais de 10 anos.
O que perdemos e o que encontramos no tempo, só nós sabemos...sobre esta forma de amar.
Sou feliz.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Delírium




"Nem ópio nem morfina. O que me ardeu,
Foi álcool mais raro e penetrante:
É só de mim que ando delirante —
Manhã tão forte que me anoiteceu."

by Mário de Sá-Carneiro
Pic by thebeserker in Deviantart


.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Pensamento cheio




O meu pensamento está cheio. Cheio com coisas que estão a acontecer, cheio com coisas que gostava que acontecessem... BAHHH!!!
E um descansozinho, não, ó Sr. Cerebro?






Photo by Davenit in Deviantart


.

sábado, 23 de agosto de 2008

Hoje não tenho mais nada a dizer







Não sei de nada. Só sinto tudo.















Pic by i don´t know (chegou-me por mail)

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Your House

Your House by Alanis Morrisette




Uma música e letra que apetece.





.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Nightmare




GO AWAY!!!



Please.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Capitão Romance





"Por querer mais do que a vida
Sou a sombra do que eu sou
E ao fim não toquei em nada
Do que em mim tocou

Eu vi
Mas não agarrei..."

by Ornatos Violeta


Quantas vezes pensamos que a nossa vida é um dar sem receber nada?
Quantas vezes pensamos que não custa tirarem os olhos da tv ou do pc e olharem-nos durante 05 minutos nos olhos. Para nos dizerem coisas, bonitas ou banais, ou simplesmente para nos ouvirem?
Quantas vezes nos empenhamos e fazemos coisas com entusiasmo (pequenas coisas) e só recebemos indiferença?
Quantas vezes sentimos que a nossa presença (ou ausência) é igual?
Quantas vezes queremos tanto que até doi...e só recebemos um sorriso dado por favor?
Quantas vezes nos sentimos transparentes?
Quantas vezes precisamos de um mimo ou um abraço dado com sinceridade?
Quantas vezes precisamos de um beijo sem pedirmos?
Quantas vezes precisamos de um "gosto de ti"?
Quantas vezes pensamos que a nossa vida não faz sentido nenhum?


by Ruyva





.

sábado, 16 de agosto de 2008

Happy Birthday Madonna!!!

Madoninha...muitos parabéns pelos teus fantásticos 50 anos.







Encontramo-nos para o mês que vem... ;)












.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

God knows how I adore life...






Mysteries by Beth Gibbons

God knows how I adore life
When the wind turns on the shores lies another day
I cannot ask for more

When the time bell blows my heart
And I have scored a better day
Well nobody made this war of mine

And the moments that I enjoy
A place of love and mystery
I'll be there anytime

Oh mysteries of love
Where war is no more
I'll be there anytime

When the time bell blows my heart
And I have scored a better day
Well nobody made this war of mine

And the moments that I enjoy
A place of love and mystery
I'll be there anytime

Mysteries of love
Where war is no more
I'll be there anytime





I'll be there anytime...

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O meu Portugal é lindo!!!






















Peço perdão se postei algum repetido.


Mas isto é demais...viva o meu povo. Somos lindos! :)




.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Amar assim, no fundo de mim...




amar assim, no fundo de mim
é mais que mais, que demais
nada me satisfaz
até arder, até ao fim
um ser faminto
um oceano dentro explodindo
por mais e mais e mais
infinitamente mais
tudo o que o amor for capaz
até romper, até ao fim
habita alto divino e fundo consumindo
gota a gota, sopro e sangue
choro amante, eternamente
aperta fundo e profundo
dentro e corroendo, pouco a pouco
queimando louco para sempre
amor é tudo
amor é nada
amor é asas
amor é momento
amor é sede
amor é água
amor é mundo
amor é alimento
amor é corpo
amor é alma
amor é magia
amor é do vento
eternamente

by Sara Tavares

Luta




Aceito a vida que tenho com muita calma.
Agradeço o meu bem estar, peço que este permaneça dentro de mim e espero que a vida não me pregue nenhuma partida. Mas não espero só. Luto por isso.
Não vou desistir. Mesmo que doa. Não posso desistir da caminhada, para de vez, seguir o caminho certo.




By Ruyva
Photo by Inominatus in Deviantart

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Caroline Af Ugglas

Adoro-a !!!!
Adoro a voz, os videos...tudo!

Nothing Left To Say

Senior & Junior

Egoistic




Pena ela ser sueca e ser dificíl encontrar cenas dela... :(

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Dormi contigo




...Dormi contigo
e, ao acordar, tua boca,
saída do teu sono,
trouxe-me o sabor da terra,
da água do mar, das algas,
do âmago da tua vida,
e recebi o teu beijo,
molhado pela aurora,
como se me viesse
do mar que nos cerca.

by Pablo Neruda


Já te disse hoje que te amo?

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Salad Fingers

Creepy but amazing!!!!







Há ou não há cerebros fantásticos?



.

Vai mas é trabalhar...Anão! ;)







Ai...que rebolanço!!!

domingo, 3 de agosto de 2008

Janta João da Mata/ Salvaterra de Magos Polo de Lisboa

Adorei o jantar! Revi pessoas que não via há 11 anos!!!









Tantas histórias loucas que temos em comum...
E são muito boas recordações!!!

CHUAC EM VOCÊS TODAS!!!

sábado, 2 de agosto de 2008

The Way I am

The Way I Am by Ingrid Michaelson



If you were falling, then I would catch you.
You need a light, I'd find a match.

Cuz I love the way you say good morning.
And you take me the way I am.

If you are chilly, here take my sweater.
Your head is aching, I'll make it better.

Cuz I love the way you call me baby.
And you take me the way I am.

I'd buy you Rogaine when you start losing all your hair.
Sew on patches to all you tear.

Cuz I love you more than I could ever promise.
And you take me the way I am.
You take me the way I am.
You take me the way I am.



Hoje sinto-me calma.
E adoro esta letra.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Paredes de Coura - SEX PISTOLS!!!




Consegui o inimaginável!!! Já não vou morrer sem ver SEX PISTOLS!!!
Foi bom demais!